Panambi (Colônia Neu-Württemberg) Século XX.
Fonte: Acervo do MAHP (Museu e Arquivo Histórico de Panambi)

domingo, 11 de março de 2018

Divulgando!
Inscrições para todas as atividades através do Link:https://www.univates.br/evento/migradh

sexta-feira, 24 de março de 2017


Associação Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras

NOTA DE REPÚDIO

A Associação Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras, por meio desta nota, vem tornar publica sua manifestação de indignação e repúdio diante da destruição do antigo cemitério de Quatro Colônias Norte, no município de Campo Bom, estado do Rio Grande do Sul. Tal ato, empreendido de forma arbitrária e irregular, demonstra uma completa falta de respeito e consideração para com o patrimônio cultural desta comunidade e, acima de tudo, para com as famílias das pessoas que lá encontravam-se sepultadas, tendo em vista que ocorreu a violação de sepulcros.
O cemitério de Quatro Colônias Norte remonta ao ano de 1826, logo após a chegada dos primeiros imigrantes a então localidade de Campo Bom, que integrava a Colônia Alemã de São Leopoldo, posteriormente vila e município. Constituía, portanto, o cemitério mais antigo do município de Campo Bom. Nele estavam depositados os restos mortais de algumas famílias de origem alemã que formam pioneiras na localidade, como Deuner, Ermel, Hoffmeister, Lauer, Reichert, Vetter e Willborn. Este cemitério foi inventariado como patrimônio histórico e cultural de Campo Bom pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico do Estado do Rio Grande do Sul (IPHAE/RS) em 2016. A destruição deste local representa uma perca significativa e irreparável para a memória comunitária, em suas dimensões históricas, patrimoniais, ambientais e afetivas.
Nossa entidade, que tem por objetivo a nível nacional, a escrita e o debate sobre história das comunidades e regiões colonizadas por imigrantes alemães e/ou descendentes, compreende este episódio como um ato criminoso. Deste modo, acreditamos que as instâncias competentes do Poder Público e do Ministério Público irão tomar todas as medidas cabíveis para que se faça justiça, e que os culpados sejam responsabilizados dentro das medidas procedentes da lei. E que este fatídico episódio possa reforçar nossa atenção, empenho e articulação para a preservação de tantos outros espaços, tanto no município de Campo Bom como em âmbito estadual e federal.

Rodrigo Luis dos Santos
Presidente (gestão 2016-2017)

Lajeado/RS, 24 de março de 2017.